Em búsca do Cálice Sagrado – Monty Python

Hey, aqui é Thomas Magno, o Dungeon Master que escreve este post. Hoje vou falar de de um filme bizarro, porém muito divertido. Sim, vou falar de Em busca do Cálice Sagrado!

em busca do cálice sagrado3

Primeiramente, python é uma linguagem de programação Monty Python é um grupo de comédia britânico, os gênios (ou doentes) responsáveis pela produção desse filme.

O filme retrata a busca do Rei Arthur e dos cavaleiros da Távola Redonda pelo Cálice Sagrado e foi lançado em 1975. Logo no início, eles demoram quase 5 minutos pra apresentarem a produção e os créditos do filme porque ficaram fazendo piadas em série durante a apresentação. Mas até que foi bem humorada (e contou também com a demissão de uma galera durante os créditos xD).

Só pra que se tenha uma ideia de como o filme é divertido e estranho, deixo aqui uma breve introdução, que conta um pouco do início do filme.

em busca do cálice sagrado

A história em si tem início quando Arthur, rei dos Bretões, começa a recrutar os cavaleiros para sua corte. Logo no início é mostrado um discurso entre Arthur e um guarda sobre andorinhas africanas carregando cocos da áfrica para a Inglaterra e sobre a incapacidade das andorinhas europeias de fazê-lo (calma, não é pra fazer sentido mesmo, só pra ser estranho). Depois de um velho ser enterrado contra sua vontade, Arthur encontra um camponês revoltado pela exploração burguesa em cima da classe operária (foda-se a cronologia, né?).  Logo após Arthur entra em um conflito com o cavaleiro negro que, felizmente, sofre apenas alguns arranhões (mas foi só superficial). Daí em diante a coisa fica mais bizarra ainda, as aventuras começam a envolver bruxas , lançamento de vacas, coelhinhos do capiroto, franceses estressados, chá com biscoito, canteiros de arbustos,  granadas, historiadores mortos aleatoriamente e intervenções policiais no medievo (sentiu o nível do filme?). Eis uma imagem da santíssima granada de mão:

st-granada

OBS: Por algum motivo substituíram cavalos por cocos nesse filme.

OBS2: “Como a bexiga do carneiro pode ser usada para prevenir terremotos?”. Mistério curiosamente (e loucamente) citado pelo Rei Arthur enquanto ele cavalgava… Se é que posso chamar aquilo de cavalgada. Se alguém tiver uma ideia engraçada de como infernos se usa uma bexiga pra impedir terremotos, deixe aí nos comentários.

Agora que você já tem uma noção de como vai ser o filme, já sabe mais ou menos do que falo. A questão dos efeitos especiais é fraca mas justificável por conta da época em que foi feito. A comédia nem se fala, é extremamente boa e original. Recomendadíssimo!

Se estiver interessado  em assistir, o filme pode ser comprado, mas (como eu nunca o encontrei pra vender) também digo que ele pode ser facilmente achado no youtube.

Bem galera, por hoje é só. Muito obrigado pela leitura e espero que gostem do filme.

Thomas Magno

Anúncios

3 comentários em “Em búsca do Cálice Sagrado – Monty Python”

  1. Ni! Ni! Ni!

    Olha só… Agora ganharam meu respeito! Quem diria, vocês assistindo obras primas do Monty Python. Se vocês gostaram desse, recomendo também “A Vida de Bryan” e “O Sentido da Vida” (mas este último somente para maiores de 18 anos). Ambos os filmes são absurdamente filosóficos e críticos quanto à sociedade, religião e preceitos comuns. “A Vida de Bryan” está disponível no YouTube e “O Sentido da Vida” está no Netflix. Destaque para a “The Crimson Permanent Assurance”, um curta no início de “O Sentido da Vida” que posteriormente se mescla com a “história” do filme. Mas para quem não tem saco para assistir um filme inteiro e quer conhecer o Monty Python, recomento FORTEMENTE “A piada mais engraçada do mundo”: https://www.youtube.com/watch?v=St5DY7h19tQ

    Além disso, Monty Python é responsável por diversos termos mundialmente conhecidos, como por exemplo o SPAM (https://www.youtube.com/watch?v=3kjdrl6qjwY). Outro detalhe pouco conhecido, uma dos roteiristas do Monty Python foi Douglas Adams, criador da série de livros O Guia do Mochileiro das Galaxias. Qualquer semelhança entre o humor no Guia e do Monty Python não é mera coincidência.

    1. Haha, obrigado pelos pontos observados, jovem cavaleiro de Ni.
      Quanto ao “Sentido da Vida”, já haviam me sugerido e deixei para vê-lo no fim de semana… Bem, agora com tua sugestão também, convenço-me (ainda sem ver) de que deve ser bom o filme. Também verei as outras sugestões. Aliás, vou vê-las assim que possível (tenho prova no Sábado 😦 ). Obrigado pelos comentários e até a próxima.

Deixe um comentário :D

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s